• Maisa Ferreira

Como e por que comprar diretamente de um artista. Pequeno manual para o consumidor de artes visuais.

Atualizado: 3 de Set de 2018

Você gosta de artes visuais? Você considera o trabalho artístico algo importante na vida das pessoas? Então te convido a refletir sobre a relação entre artistas e dinheiro. Sim, dinheiro porque, por incrível que pareça, os artistas também precisam dele.

Para a carreira de artista com dedicação exclusiva dificilmente existem vagas em empregos formais, em quase todos os casos o trabalho é feito como autônomo. A maioria passa por uma formação longa, cara e que exige anos de estudo, investimentos em materiais e equipamentos, além de cursos de reciclagem ao longo de toda a vida profissional.

Geralmente eles têm que gerir seu próprio espaço de trabalho, arcando com todo o investimento inicial sem o auxílio de financiadores. A maioria trabalha muitas horas por semana, fora do horário comercial, em momentos onde a maior parte das pessoas está descansando.

Costumam ter uma remuneração flutuante e bem abaixo do mercado se compararmos com outros profissionais que tiveram formação equivalente. Na maioria das vezes a arrecadação paga no máximo metade das horas de fato trabalhadas, sem contar falta de adicionais como férias e décimo terceiro salário.

Dificilmente têm condições de pagar benefícios como planos de saúde e aposentadoria. Geralmente quando ficam doentes, recebem menos ou trabalham doentes. Todo material artístico profissional é importado e passa por uma tributação que, no mínimo, dobra o valor da maioria dos produtos.

Mas mesmo com todas essas dificuldades existem muitos que estão aí todo dia produzindo porque têm amor pelo que fazem e convicção da importância de suas contribuições culturais para a sociedade.

Contudo ninguém vive só de amor pela profissão e o resultado disso é que desde que estou na área, sempre vejo pessoas talentosas desistirem ou nem mesmo tentarem, já que, além das dificuldades financeiras, ainda são desvalorizadas por clientes e colegas.


Aí já deu pra ter alguma ideia de como é a vida real de um artista visual sem o véu do glamour internético né?

Agora que você tem uma noção, sugiro algumas práticas simples que você pode adotar para não colaborar com a existência de menos um artista na sua cidade:

  1. Se você vê uma obra ou serviço acima do seu poder de compra, não reclame e não diga que está caro, te garanto que, na maioria das vezes, esse preço não pagou a metade do trabalho que o artista teve.

  2. Elogie sempre! É de graça e não vai fazer mal algum ao seu ego, porém significa muito para quem ouve.

  3. Trate o artista que está prestando serviço pra você como trataria qualquer profissional que contribui para sua existência ser melhor nesse mundo. ☺

  4. Nunca peça a um artista que te dê a obra ou o trabalho de graça. Isso é muito desrespeitoso. Você com certeza não pede ao seu dentista, ou cabeleireiro ou mecânico te atender de graça, então como pode pedir ao artista? Não é porque a pessoa tem amor pelo que faz que automaticamente deveria trabalhar de graça.

  5. E se você não é um profissional da comunicação, jamais peça trabalho em troca de “divulgação”. Tá sem grana e quer fazer uma proposta? Não tem problema. Mas ofereça seus serviços profissionais e, de preferência, faça uma conversão em moeda, por exemplo: cada um faz um orçamento e vocês fazem uma equivalência de valores e serviços/produtos.

  6. Seja gentil ao entrar em contato. Artistas geralmente acumulam muitas funções: produção, pesquisa, propaganda, atendimento, gestão financeira, gestão de clientes, etc... E respeite os horários e canais de atendimento de cada pessoa. Não é porque você tá de bobeira em casa domingo à noite que a pessoa deve te atender e dar um orçamento via Facebook.

  7. No mais, basta ter bom senso, ser gentil e respeitoso como você seria com qualquer profissional que admira e que acha que de alguma forma contribui para uma vida mais interessante.

  8. E por final: compre diretamente dos artistas, financie a cultura em sua cidade, já que ela não vai se desenvolver sem a sua contribuição. Seja alguém que nos ajude a ter uma artista a mais e não uma artista a menos, frustrado em outros empregos. CONTRIBUA! VOCÊ TAMBÉM FAZ PARTE DA CULTURA LOCAL.

Ah, esqueci uma coisa!

Por favor, parem de comprar pôsteres com imagens do Pinterest em lojas de departamento para colocar na parede da sua sala. Tá sem grana? Compre uma reprodução de um trabalho autoral e não mais uma imagem publicitária. Cada pôster do Urban Arts ou da Leroy que você compra é um trabalho a menos que um artista vende.

0 visualização